Category Logística
EBA - Empresa Brasileira de Armazenamento, Redex e Operações Logísticas
EBA - Empresa Brasileira de Armazenamento, Redex e Operações Logísticas

Vantagens e desafios do uso de dados, IA e a importância da rastreabilidade no setor serão temas discutidos durante o LogTalk, que será realizado pela MundoLogística em 8 de maio

Por Christian Presa

uso dados IA rastreabilidade tecnologia em logística carreira capacitação mundologistica logtalk
Resposta às demandas do setor e aplicação da tecnologia são desafios (Foto: Shutterstock)

Em todo o mundo, a tecnologia é uma temática cada vez mais presente no setor de logística, com variadas soluções para diferentes etapas das operações. De acordo com uma pesquisa sobre Inteligência Artificial na logística, divulgada pela McKinsey em abril de 2021, o uso dessa tecnologia tem demonstrado resultados em previsão de demanda, otimização de rotas e estoques e, consequentemente, em redução de custos.

No entanto, a mesma pesquisa aponta que essa jornada produtiva não é tão simples assim. Os dados apontaram que menos de um terço das companhias avaliadas têm um diagnóstico de valor devidamente apurado, enquanto apenas 13% dos gestores dizem acreditar que suas operações estão preparadas para o que chamam de “gap de skills”.

Nessa esteira de demandas, uma análise publicada pela Bain & Company salientou, também, o aumento de complexidade nas cadeias de suprimentos. “As cadeias de abastecimento exigem agora trade-offs mais complexos num conjunto crescente de prioridades, incluindo resiliência, sustentabilidade e capacidade de resposta aos clientes.”

O fato é que ainda há uma lacuna na compreensão de como ser responsivo às necessidades do setor e de como as tecnologias, apesar dos evidentes benefícios, podem auxiliar nesse processo — e isso começa pelos profissionais do setor.

⇒ Esse tema será discutido no LogTalk, novo evento da MundoLogística. Clique para saber mais!

Segundo o CEO da RoutEasy, Caio Reina, essa compreensão demanda um salto rumo à percepção de como a tecnologia pode transformar decisões e as ações em logística. “A IA tem o potencial de fornecer insights em tempo real, permitindo uma tomada de decisão mais rápida e eficaz, além de antecipar problemas e identificar oportunidades de melhoria contínua. Compreender isso requer uma mudança de mentalidade e capacidade de integrar tecnologias complexas no dia a dia das operações logísticas.”

Essa visão foi reforçada por Alexandre Felix, COO da Loggi — que ressaltou a relação entre logística, planejamento e análise de dados. “Dados na área de logística, quando muito bem trabalhados e analisados, são a base principal para a tomada de decisão e para o acompanhamento diário da sua operação, com resultado entregue em custo e qualidade.”

Porém, o oposto disso pode ser nocivo para as operações. De acordo com o head de Control Tower da nstech, Achiles Rodrigues, a complexidade da cadeia de suprimentos pode dificultar a visualização completa de todas as operações e isso está relacionado diretamente à falta de dados. “Isso se dá por falta da tecnologia correta e integração da colcha de retalhos sistêmicas que existe nas empresas. Se os dados disponíveis não são precisos ou atualizados em tempo real, os executivos podem tomar decisões com base em informações incompletas ou incorretas.”

OS DESAFIOS DE EMPRESAS E PROFISSIONAIS

Achiles Rodrigues pontuou que muitas empresas negligenciam etapas cruciais, o que prejudica a efetividade da tecnologia. E, nesse sentido, o tripé de processos, tecnologia e pessoas deve ser uma prioridade. “Esses dependem um do outro para visibilidade logística”, ressaltou.

EBA - Empresa Brasileira de Armazenamento, Redex e Operações Logísticas

Para Caio Reina, CEO da RoutEasy, a relutância em adotar tecnologias é um desafio multifacetado, que vai além da simples falta de conhecimento. “A hesitação ou a lentidão em adotar a IA é uma combinação de fatores que inclui falta de conhecimento, barreiras culturais, financeiras e estruturais. Não é apenas uma questão de falta de conhecimento. Muitas vezes, há uma resistência cultural à mudança dentro das organizações, especialmente em setores tradicionais. Além disso, preocupações com o custo inicial da implementação da tecnologia, a falta de infraestrutura tecnológica adequada e a necessidade de capacitação de equipes para trabalhar com novas ferramentas podem ser barreiras significativas.”

Por outro lado, Alexandre Felix, COO da Loggi, destacou que olhar para isso é mandatório, uma vez que o uso de dados como ponto de partida para a obtenção de insights valiosos. Como ponto de partida, ele salientou a indexação dos dados, que devem estar organizados para refletir a realidade da operação.

“Uma vez que todo esse data lake esteja organizado, você consegue transformá-lo em informações. Além de usar uma boa ferramenta de BI, capaz de construir dashboards para tomada de decisão e governança da operação, outros critérios são ter bons cientistas de dados e analistas capazes de criar padrões e algoritmos para se obter respostas”, explicou.

POR QUE ESSES TEMAS IMPORTAM?

Para além do bom curso de uma operação, a compreensão desses temas é importante para impulsionar carreiras. “Um bom profissional de logística precisa ter afinidade não só para transformação de dados em informação, como também precisa ser capaz de fazer essa leitura adequada para apoiar a tomada de decisão — preventiva, proativa e corretiva, em um nível estratégico ou tático-operacional do dia a dia”, disse Alexandre Felix.

Para Achiles Rodrigues, é preciso estar atualizado na era da informação. “Na nova economia que vivemos, centrada em dados, é fundamental compreender como aplicá-la de maneira eficaz e influenciar positivamente tanto dentro quanto fora da organização.”

⇒ Esse tema será discutido no LogTalk, novo evento da MundoLogística. Clique para saber mais!

Já Caio Reina enfatizou a relevância da Inteligência Artificial para o futuro dos profissionais de logística — em diferentes aspectos “A compreensão da IA permite que esses profissionais melhorem os processos existentes com inovação, criando novas soluções para desafios complexos. Isso beneficia suas organizações e acelera o desenvolvimento profissional individual, abrindo portas para cargos de liderança e especialização em áreas emergentes dentro da logística.”

O DESENVOLVIMENTO DA SUA CARREIRA

Achiles Rodriges, Alexandre Felix e Caio Reina são alguns dos executivos confirmados como palestrantes na 1ª edição do LogTalk, criado pela MundoLogística para profissionais que buscam por ascensão profissional.

O evento será realizado no dia 8 de maio, em São Paulo. Para conferir o cronograma completo e garantir sua inscrição, acesse o site https://logtalk.com.br/.

Fonte: Mundo Logística

EBA - Empresa Brasileira de Armazenamento, Redex e Operações Logísticas
EBA - Empresa Brasileira de Armazenamento, Redex e Operações Logísticas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *