Category Notícias

O caminhão semipesado Mercedes-Benz Atego 2426 6×2 e o utilitário de carga Kia Bongo K2500 são os veículos comerciais com maior valor de revenda no mercado de seminovos com até três anos uso. Ambos tiveram com alta de 50,9% e 48,9%, respectivamente e se destacaram como os mais valorizados entre todas as categorias verificadas pelo levantamento do SMVR –VC (Selo Maior Valor de Revenda – Veículos Comerciais 2022).

A alta valorização dos comerciais de carga se deve em grande parte à insuficiência de produtos zero quilômetro no mercado para atender a demanda do setor de transporte, causada em maior parte pela falta de diversos componentes na linha de produção das montadoras para finalizar os veículos.

Atego 1
Mercedes-Benz Atego 2426 6X2 se destacou como o caminhão mais valorizado após três anos de uso

Essa situação tem levado transportadores a adiar a troca e a usar seus veículos por mais tempo, bem como recorrer ao mercado de seminovos para atender suas demandas, provocando a escassez e a consequente de valorização de modelos com maior procura.

“O objetivo do SMVR –VC é estimular montadoras e importadoras a valorizar seus produtos e por consequência preservar os investimentos de caminhoneiros autônomos e frotistas”, disse Joel Leite, diretor da AutoInforme, agência responsável pela coleta de dados de valorização dos veículos.

Em oito edições do SMVR-VC, de 2015 a 2022, a Mercedes-Benz venceu em 25 categorias entre Utilitários e Caminhões, arrebatando cinco vezes o título de Campeão Geral. Esse ano, além do Atego 2426 6×2, a montadora foi premiada também também pela valorização do Accelo 1016, apontado como o caminhão leve com até três anos de uso mais valorizado, cuja alta foi de 44,4%.

Na avaliação do responsável pelo estudo, Luiz Cipolli Junior, os resultados obtidos pela montadora nos oito anos da certificação demostram o reconhecimento do mercado em relação à qualidade dos produtos e também pelos serviços pos-vendas oferecidos pela marca.

Qualidade e pós-vendas

A gerente sênior de Vendas Caminhões Regional São Paulo da Mercedes-Benz do Brasil, Jaqueline Neves, destacou que é um orgulho para a montadora conquistar um reconhecimento tão importante como esse, num segmento bastante competitivo como o de caminhões.

Jaqueline MB
Valor de revenda é um dos diferenciais da marca, disse Jaqueline Neves, da Mercedes-Benz

A executiva reforçou que o valor de revenda é um diferencial dos produtos da marca, os quais ganham relevância no mercado de usados e seminovos e logicamente se deve à confiabilidade dos clientes.  “Com essa premiação, o cliente mostra que leva esse fator em conta quando escolhe um Atego ou um Accelo, sabendo que seu investimento será bem aplicado”, complementou.

Camioneta de carga

A Kia, por sua vez, vencedora em 2021 na categoria Camioneta de Carga, esse ano voltou a receber  a certificação de Maior Valor de Revenda no posto de Campeão Geral com o Bongo K2500. O Diretor de Operações da Kia Brasil, Gustavo Gandini, ressaltou que esse reconhecimento é motivo de muito orgulho, pois demonstra a confiança de empresários do transporte rodoviário e de motoristas autônomos no produto da marca.

bongo selo autoinforme 2022
Kia Bongo K2500 se destacou na levantamento do SMVR-VC como o utilitário de carga mais valotrizado após três anos de uso

A Volkswagen Caminhões e Ônibus também manteve a tradição de obter destaque com modelos da marca mais valorizados pelo mercado, conforme apuração da oitava edição do SMVR-VC. Desta vez, o semileve Delivery Express se sobressaiu com valorização de 49,5%.

Delivery 02
O Volkswagen Delivery Express recebeu o premio de caminhão semileve mais valorizado, com alta de 49,5% âpós três anos de uso

A montadora é também a fabricante do caminhão médio com três anos de uso mais valorizado, com o Volkswagen médio Delivery 11-180 Delivery, modelo que apresentou alta de 50,4% entre os usados mais valorizados em sua categoria.

A Renault, por sua vez, já venceu em seis categorias com a Master e tem dois títulos de “Campeão Geral”, enquanto a Hyundai se sobressaiu em quatro oportunidades e três vezes entre as melhores colocações na categoria utilitários. Entre os pesados, o destaque ficou com o Scania R-450 4×2 com valorização de 31,9%. Fiat, Ford, Iveco e Volvo também obtiveram destaques, mas segundo a organização do SMVR-VC não anotaram o maior valor de revenda na classificação geral de Utilitários ou de Caminhões.

Critérios de valorização

De acordo com Leite, para formar o índice de valorização o levantamento considerou os preços médios dos veículos zero quilômetro praticados em maio de 2019 e seus modelos correspondentes com três anos de uso, ou seja em maio de 2022, geralmente prazo médio de substituição para fins de renovação de frota.

Ainda segundo Joel Leite, outro critério foi subdividir os veículos em dois grupos, utilitários de carga (em quatro categorias) e caminhões (em outras cinco). A partir desse formato, analisamos 139 modelos, dos quais 113 de caminhões e 26 de utilitários. Desse total, esse ano 23 modelos obtiveram índices positivos e 179 índices de depreciação muito abaixo da média dos anos anteriores.

 “A valorização de um veículo depende de vários fatores, como tamanho, marca, rede de revendedores, cuidado que a marca tem em relação ao pós-vendas, origem e sua aceitação no mercado. Assim, nossa expectativa é que a certificação possa servir de balizador, para uso de fabricantes e distribuidores de veículos, administradores e proprietários de frotas, bancos, financeiras e seguradoras”, finalizou Leite.

Fonte: Portal O Carreteiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.