Category Notícias

Em parceria com o SEST/SENAT, o Porto do Recife iniciou na quarta-feira (18) o monitoramento do nível de fumaça preta nos caminhões que participam das operações portuárias. O projeto, que irá avaliar a qualidade do ar e traçar estratégias para mitigar este impacto, terá duração de um ano com uma inspeção por mês.

Além de saber o nível de emissão de fumaça, o caminhoneiro também poderá avaliar a rotação do veículo e o nível de consumo de combustível. Para realizar a vistoria, o motorista deve realizar um cadastramento com a documentação do veículo e quilometragem. O SEST/SENAT, que faz essa inspeção em todo o Brasil, disponibilizou um técnico em gestão ambiental e os equipamentos necessários. “Para esse tipo de inspeção, nós utilizamos um tacômetro, que avalia a bateria do veículo e o opacímetro, o qual é acoplado ao cano de escape e mede os níveis de fumaça e combustível”, explica Edécio Nogueira, técnico de gestão ambiental do SEST/SENAT.

“A medição dos níveis de fumaça também é importante para fiscalizar se os veículos estão dentro dos parâmetros do CONAMA e se estão respeitando as normativas do IBAMA. Por sermos um porto-cidade temos a responsabilidade de nos preocuparmos com a qualidade do ar. Com esse monitoramento poderemos avaliar a qualidade dos caminhões que estão circulando no ancoradouro, como também acompanhar o nível de emissão de fumaça e a partir disso desenvolver planos para diminuir esses impactos”, explica Ana Paula Gondra, assessora técnica da Coordenadoria de Gestão Ambiental e Segurança do Trabalho do Porto.

O primeiro dia de inspeção avaliou 14 caminhões, desses 12 foram aprovados, um foi rejeitado e um foi reprovado. “A princípio é uma campanha educativa para nós avaliarmos, dentro de um ano, como está a emissão por fumaça preta nas operações portuárias. Estamos oferecendo aos motoristas uma inspeção, que normalmente é paga, de forma totalmente gratuita”, reforça José Lindoso, presidente do ancoradouro.

Após a avaliação, o motorista recebe um laudo, pelo email ou celular, e um selo de aprovado com validade de um ano. “Essa ação é importante porque permite que os caminhoneiros conheçam esse tipo de inspeção veicular. Muitas empresas solicitam esse laudo aos motoristas, para avaliar se o transporte está dentro dos parâmetros e se estão prezando pela questão ambiental. Ser aprovado na inspeção significa também que eles podem ampliar o leque de serviços”, afirma Ana Paula.

Fonte: Porto de Recife

Foto: Divulgação

Portal Estrada – Negócios em Transporte & Logística

Fonte: Portal Estrada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.